COMO USAR A LITERATURA PARA APRENDER A LÍNGUA INGLESA

INTRODUÇÃO

A aprendizagem da Língua Inglesa é parte integrante do currículo da maioria das escolas brasileiras e goianas. A necessidade de aprender a Língua Inglesa é justificada pelo fato de no mundo estar incessantemente ocorrendo todo tipo de intercâmbio entre pessoas de diferentes nacionalidades, por diferentes razões e certamente a Língua Inglesa tem sido o elo para unir diferentes povos através de uma forma comum de comunicação. E esse fato sempre desperta nos alunos a curiosidade sobre a cultura e a história dos países dessa língua. E é sabido que a forma de expressão e o processo histórico de toda sociedades se manifesta através da literatura.

Então uma das melhores e mais interessantes maneiras de aprender a Língua Inglesa seria indubitavelmente através da literatura. O uso da literatura em turmas de alunos de Língua Inglesa deve ocupar um ligar de destaque como recurso pedagógico que por se tratar de ficção tornará o aluno mais criativo possibilitando-lhe a internalização das estruturas da língua com mais facilidade. Além disso é um meio para transformar o aluno num sujeito ativo e mais responsável pela própria aprendizagem podendo desse modo, estabelecer objetivos e metas para a construção dos seus próprios conhecimentos. E convém lembrar que todo esse processo deve acontecer num clima de descontração capaz de motivar o aluno a participar espontaneamente de todas as discussões e quaisquer outras atividades.

O uso da literatura para promover a aprendizagem da Língua Inglesa parece ser o caminho mais curto e mais interessante para se ensinar a ler, a escrever e a falar nessa língua. Os textos usados, como os conteúdos, devem ser adequados ao nível dos alunos em termos de idade, de domínio da língua e de seu contexto cultura.

Ao estimular a leitura de textos literários entre os alunos, eles tornar-se-ão capazes de criar versões das obras e textos lidos, inserindo neles traços pessoais e podendo , desse modo refletir sobre o ato de escrever, sobre diferentes tipos de uso da Língua Inglesa e suas variedades e aplicação prática de suas regras, ao mesmo tempo em que se envolvem com o contexto tratado ou retratado no texto lido estabelece com ele uma relação de maior intimidade e de maior significação.

À medida que os trabalhos com os textos literários acontecem não terá de excluir o conteúdo programático, qualquer que seja o nível do aluno, para criar um espaço exclusivo da literatura. Esse trabalho pode ser idealizado como principal ferramenta pedagógica para a aprendizagem da Língua Inglesa podendo também auxiliar o professor da Língua Portuguesa no cumprimento do seu programa, como também o de outras áreas de conhecimento. E se o professor souber explorar as possibilidades que a literatura lhe oferece suas aulas serão mais interativas e seus alunos certamente obterão melhores resultados em menor tempo num clima de mais confiança e atitude solidária. Essas atitudes de interação são defendidas por Vogotsky, segundo o qual o aprendizado envolve sempre a interação entre as outras pessoas, e a interferência delas de forma direta ou indireta acarretará um processo de reconstrução e reelaboração de conhecimento transmitido entre os membros de um grupo social.

OBJETIVOS

Apresentar ao aluno a aprendizagem da Língua Inglesa de forma interessante e despertar sua atenção para o prazer da leitura, ao mesmo tempo possibilitar a ele uma postura reflexiva e crítica tanto do uso da Língua Inglesa quanto como cidadão ativo e participativo na formação de uma sociedade que aprende uma língua, conhece a cultura dos seus falantes, mas conhece e valoriza cada vez mais a sua própria cultura.

Motivar novos olhares sobre a aprendizagem da Língua Inglesa como fator de inserção social e ascensão profissional construindo ações que conduzam à reflexão crítica tanto dos professores quanto dos alunos envolvidos no projeto através de atividades embasadas na teoria sócio-construtivista para que os aprendizes, através de suas discussões, socialização de erros e acertos e avaliação de sua própria evolução construam seus conhecimentos influenciando-se uns aos outros e provocando debates resultantes das reflexões sobre as diferentes perspectivas polissêmicas dos textos literários utilizados em sala de aula.

Usar a literatura para aprendizagem da Língua Inglesa considerando que a leitura de textos literários é o ponto de partida para analisar, compreender e praticar o uso do vocabulário, melhorar a compreensão de aspectos gramaticais, além de abordar características de estilo de determinadas épocas e autores estabelecendo o contato do aluno de Língua Inglesa com a cultura e com a história do país falante dessa língua.

METODOLOGIA

A metodologia para a realização desse trabalho é focada em propostas de ações por parte dos professores de Língua Inglesa que levam o aluno à aprendizagem da língua ao mesmo tempo em que estreitam suas relações com uma literatura de qualidade. À medida que a Língua Inglesa é aprendida enfatiza-se a habilidade de leitura e compreensão de textos nessa língua vinculadas à conseqüente significação e resignificação do universo do estudante como fator propulsor da construção do seu conhecimento e capacidade de discutir sobre temas do seu interesse usando vocabulário e outros elementos da Língua Inglesa.

A polissemia dos textos literários é uma de suas muitas qualidades que possibilita aos estudantes da Língua Inglesa identificar e discutir os diferentes sentidos produzidos que se constituirão numa exploração cada vez mais ampla de todos os seus aspectos, o que certamente resultará numa aprendizagem bem mais significativa do que uma aprendizagem centrada em métodos tradicionais.

E para que isso ocorra o professor pode sugerir livros que já foram inspiração para produções cinematográficas ou para elaboração de novelas, fatos que sempre chamam a atenção dos leitores, principalmente dos que tem menos intimidade com boas obras literárias. E são esses leitores o principal alvo do projeto. Da literatura Inglesa podem ser trabalhados livros como Romeu e Julieta, Otelo e outros de Shakespeare, O Gigante Egoísta de Oscar Wilde e tantos outros que possuem boas adaptações com vocabulário mais acessível e de fácil compreensão.

Da literatura americana e de outros países falantes da Língua Inglesa como Austrália ou África do Sul não se deve esquecer pois oferecem muitas obras de grande valor literário. Eles podem servir como meios de aprendizagem da língua e de aproximação de suas respectivas culturas provocando entre os alunos inúmeras e acaloradas discussões pelo fato da literatura ter diferentes significados. E consequentemente será maior uso da Língua Inglesa como também e crescente domínio da mesma.

Para usar as estruturas lexicais da Língua Inglesa devem ser planejadas atividades que empreguem palavras novas ou menos conhecidas encontradas nos textos lidos. Essas palavras podem ser empregadas em contextos relacionados ao texto lido, e num estágio seguinte usá-las em diferentes contextos conforme a vivência de cada aluno.

Conforme Mach, Woodsong, Macqueen, Guest e Namey outros tipos de atividades podem ser muito produtivas, como completar lacunas, ampliar frases, construir enunciados para discutir com os colegas, caracterizar personagens. O aluno pode retomar o texto para executar atividades que possibilitem mais intimidade com a língua e o seu uso, como anotar aspectos relevantes do texto ou um determinado tipo de palavras, identificar palavras ou expressões centrais e ainda fazer paráfrase ou resumo do texto.

Outros autores como Ellis sugerem relacionar os diferentes estilos de textos literários lidos, uso freqüente do dicionário para ampliação do vocabulário e para diminuir dúvidas fonéticas, pesquisas sobre os autores e aspectos culturais do seu país, além de debates e recontos dos textos.

Acredito que a prática da leitura de textos literários no processo de aprendizagem da Língua Inglesa propicia aos estudantes a apropriação do conhecimento lingüístico contribuindo para a sua formação como falantes e leitores proficientes dessa língua, ao mesmo tempo em que se constituem como seres humanos cada vez melhores e mais completos.

RECURSOS

Livros e textos literários diversos

Jornais, revistas e fotografias

Notebook, data-show, aparelho de televisão e DVD  

REFERÊNCIAS

ELLIS, R. Understanding second language acquisition. Oxford: Oxford University Press, 1985.

LAJOLO, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura de mundo. São Paulo: Ática, 1999

MACK, Natasha• WOODSONG, Cynthia• M.MACQUEEN, Katheen • GREG GUEST • NAMEY, Emily. Qualitative Research Methods: A DATA COLLECTOR’S FIELD GUIDE

Say your words